O Estrela da Amadora voltou a estar nas bocas do mundo, muito por causa da boa campanha no Campeonato e na Taça de Portugal.

Como se sabe, este histórico clube viveu graves problemas financeiro que lhe valeram a extinção em 2011.

Nesse mesmo ano foi refundado, pela força de 6 sócios.

De acordou com várias notícias, o Clube Desportivo Estrela herdou os estatutos e os ideais, apostando na formação do futebol e noutros desportos, voltando a constar do calendário desportivo, mas a nível regional. 

Nos últimos tempos, foi aprovada pelos sócios a fusão com o Sintra Football.

Desta forma, os tricolores jogam atualmente no Campeonato de Portugal.

E assim se dá o regresso aos nacionais. O clube recuperou o nome e o emblema dando rapidamente origem a uma SAD.

O projeto está aí e vamos ver todos o que acontece.

Mas não é disso que vamos falar até porque convém recordar o passado.

Para a história ficaram os míticos jogos na Reboleira nas 16 presenças no campeonato principal e os dois sétimos lugares como melhores registos em 1993/94 e 1997/98.

Sem esquecer, claro, a conquista da Taça de Portugal em 1990.

Vamos lá recordar alguns jogadores que passaram pelo Estrela

Rebelo

O eterno capitão desta equipa, onde jogou mais de 14 épocas. Entre 1987 e 2001. Fez parte da equipa que ganhou a Taça e ainda os sétimos lugares, que mencionamos anteriormente.

Para a histórico ficam 440 jogos e 8 golos marcados.

Jorge Andrade

Aprendeu com Rebelo e treinado por Jorge Jesus

Formado no Estrela, subiu à equipa principal em 1997/98. Fez alguns jogos no meio campo, mas rapidamente fixou-se no centro da defesa ao lado do eterno capitão.

Marcou 3 em 57 jogos disputados com o número 10 nas costas. Depois, bom depois todos sabem a grande carreira que fez e que terminou devido, infelizmente, a uma lesão grave quando representava a Juventus em 2009.

Paulo Santos

Paulo Santos

Este guarda-redes que dividiu a formação entre Sporting e Benfica, passou pela Reboleira entre 1995 e 1998. Fez mais de 60 jogos.

Miguel, Abel Xavier e Chaínho

Fotografia recolhida de uma entrevista dada ao jornal Diário de Notícias

Os dois primeiros terminaram a formação na Reboleira, apesar de ter tido passagens, ainda neste escalão, por outros clubes.

Miguel nos tricolores jogou entre 1998 e 2000, onde disputou 34 jogos a bom nível que lhe valeram o salto para o Benfica.

1989 e 1993 marca a passagem pela principal equipa da Amadora do Abel Xavier. Marcou um total de 6 golos em quase 100 jogos. Jogou depois em clubes como o Benfica, Bari em Itália, Real Oviedo, PSV, Everton, Liverpool, Roma entre outros. Sem esquecer a passagem pelos LA Galaxy, onde jogou com o David Beckham.

Chaínho não foi formado na academia da Amadora, mas chegou aos tricolores proveniente do Casa Pia, onde se fez jogador.

Nos tricolores fez 112 jogos, onde chegou a ser treinado pelo atual selecionador nacional – Fernando Santos.

As boas exibições valeram-lhe a transferência para o FC Porto. Jogou ainda no Real Zaragoza em Espanha e no Panathinaikos da Grécia. Representou ainda o Marítimo, Nacional da Madeira, o Alki Larnaca do Chipre. Terminou a carreira em 2008/09 com as cores do Shahin Bushehr da Irão.

Calado

Passou pela Reboleira entre 1992 e 1995

Também vindo do Casa Pia, este médio que também jogava na posição fez 55 jogos e 3 golos com o emblema da Estrela ao peito.

Gaúcho

Sinónimo de golos

Este avançado brasileiro passou pelo histórico clube da Amadora entre 1996 e 2000. Houve uma época, pelo meio, em que esteve emprestado ao Ourense de Espanha.

Marcou em 55 ocasiões nos 140 jogos que realizou.

Paulo Bento

Atualmente treina a seleção da Coreia do Sul

O antigo médio internacional por Portugal, jogou entre 1989 e 1991, tendo feito 53 jogos e marcado 1 golo. Conquistou a já falada Taça de Portugal.

Rui Águas

Passou apenas meia época na Reboleira

Quase que Rui Águas terminada a carreira na Amadora. Quase. Porquê? Porque aos 35 anos e quando já corria a época 1994/95 recebeu uma proposta do Reggiana de Itália e aceitou.

Nos tricolores, e depois de passagens e golos por clubes como o Atlético, Portimonense, Benfica e FC Porto, fica o registo de 4 golos em 9 jogos.

Dimas

Jogou na Amadora duas épocas

Formado na Académica, jogou nos estudantes em 1990 para vir outro histórico do futebol português.

Na Reboleira, este jogador foi dono do lado canhoto da defesa entre 1990 e 1992. Marcou 7 golos em 67 encontros. Tem a tal Taça de Portugal no historial.

Rui Neves

Uma carreira feita, quase em exclusivo, neste clube

Formado nos tricolores, chegou em 1988 à equipa principal, onde chegou até 2004. Altura em que pendurou as chuteiras.

Foram 430 jogos e 14 golos deste lateral. Onde conquistou um campeonato da 2ª Liga e a Taça de Portugal.

Nota ainda para a época 1993/94, onde jogou no Gil Vicente.

Em breve a segunda parte deste artigo aqui no blog da bet.pt.