A ironia do destino ditou que no caminho para a Liga dos Campeões Jorge Jesus e Rui Vitória voltassem a encontrar.

Que é como diz, o Benfica vai defrontar o Spartak de Moscovo, nos dias 4 e 10 de agosto, na qualificação para a Champions League.

O vencedor deste jogo ruma depois ao play-off, com os jogos da primeira mão a serem jogados a 17 ou 18 de agosto enquanto a segunda mão é jogada uma semana depois, a 24 ou 25.

Caso o Benfica se qualifique para este play-off já sabe que será novamente cabeça de série no respetivo sorteio, com o Shakhtar, a única equipa que já sabe que não poderá defrontar.

Os encarnados falharam em 2020/21 o apuramento para a fase de grupos, ao caírem na terceira pré-eliminatória, num jogo único com o PAOK, então treinador por Abel Ferreira, que venceu por 2-1, na Grécia.

No caso de conseguir, desta vez, ultrapassar as duas pré-eliminatórias, o Benfica junta-se na fase de grupos, que arranca a 14 de setembro, ao campeão nacional Sporting e ao FC Porto.

Águias e os russos

Será a segunda vez que Benfica e Spartak de Moscovo são adversários nas competições da UEFA, após terem integrado o mesmo grupo da Liga dos Campeões em 2012/13, com uma vitória para cada lado.

O próximo jogo de Benfica e Spartak tem ainda o aspeto emocional de opor dois treinadores portugueses, e com muita rivalidade, relativa às épocas em que Jorge Jesus e Rui Vitória trocaram palavras, quando estavam no Sporting e no Benfica, respetivamente.

Os dois treinadores defrontaram-se em 21 ocasiões, com 13 triunfos para Jorge Jesus e quatro para Rui Vitória. Há ainda o registo de quatro empates. A história até pode ser favorável a Jorge Jesus. Mas quem não perdeu nos últimos cinco jogos foi o treinador Rui Vitória. Foram muitas as farpas lançadas entre os dois treinadores, que criaram uma rivalidade que foi para além dos clubes. Agora, três anos depois do último encontro, voltam a encontrar-se na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, onde o Benfica enfrenta o Spartak Moscovo.

A rivalidade aqueceu em 2015

As trocas de palavras entre Jorge Jesus e Rui Vitória alimentaram as conferências de imprensa entre 2015 e 2018.

Quando Jorge Jesus mudou-se para Alvalade e Rui Vitória era anunciado como o novo comandante do clube da Luz em 2015, começou a verdadeira rivalidade entre os dois técnicos que “aqueceu” muitas vezes a época 2015/16. No jogo da Supertaça, Jorge Jesus deu início ao bate-boca com o treinador das águias.

“O que tenho de fazer é dar os parabéns ao treinador do Benfica, porque é inteligente, manteve as coisas como estavam, e que deram vitórias. As ideias que estão lá são todas minhas. O Benfica não mudou nada, zero. Vou jogar contra uma equipa com as minhas ideias. Cheguei ao Sporting e mudei tudo. O cérebro já não está lá, o treino não vai ser o mesmo, mas tudo aquilo continua”, disse na altura o treinador nascido na Amadora. 

Rui Vitória, também na altura, não respondeu prontamente. Só após muita, mas mesmo muita, insistência dos jornalistas, elevou o tom de voz para explicar que só fala com quem quer, e quando quer.

Na sequência do encontro para o campeonato entre os dois rivais, Rui Vitória entrou para a antevisão pronto para jogar o jogo psicológico do adversário. “Vai jogar uma equipa, que somos nós, contra 11 jogadores, que não sei se será uma equipa, que é o Sporting”. Os comandados de Jorge Jesus venceram por 3-0 em pleno Estádio da Luz e o técnico não esqueceu as palavras de Vitória. “É fácil após ganhar responder a Rui Vitória. Hoje, podíamos ter ganho por mais. O Benfica não teve uma oportunidade de golo. Era fácil pôr o Rui Vitória deste “tamanhinho”, mas não ponhoVou respeitá-lo”.

Umas semanas depois, em jogo a contar para a Taça de Portugal, Rui Vitória queixou-se, após uma derrota por 2-1, que não queria ser “comido de cebolada”. “Ser bom não é ser bonzinho. Já são três vezes que o Benfica joga e é prejudicado em penáltis que são claros. Já chega. É a tática do barulho e eu não quero ser comido de cebolada”. O técnico dos leões respondeu que “foi limpinho, limpinho”.

Jorge Jesus voltou a responder e desta vez com uma afirmação forte. “Como não o qualifico como treinador, logo não sou mau colega. Para ser treinador ele tem de ser muito mais. Para conduzir um Ferrari é preciso ter andamento para ele, vamos ver se aquele Ferrari continua a andar”.

“Agora, os treinadores em Portugal, em concreto do treinador do Sporting, antes de chegar ao Benfica teve 20 anos de carreira onde andou a ganhar algumas vezes e a perder outras, a ser despedido umas vezes e contratado outras. Com a idade que eu tenho ele se calhar andava a lutar pela subida de divisão na segunda liga”, respondeu Vitória.

Eis o histórico entre Jorge Jesus e Rui Vitória:

  • Benfica – Paços de Ferreira (2-0), vitória para Jorge Jesus em 2010
  • Paços de Ferreira – Benfica (1-5), vitória para Jorge Jesus em 2011
  • Benfica – Vitória (2-1), vitória para Jorge Jesus em 2011
  • Vitória – Benfica (1-4), vitória para Jorge Jesus em 2011
  • Vitória – Benfica (1-0), vitória para Rui Vitória em 2012
  • Benfica – Vitória (3-0), vitória para Jorge Jesus em 2012
  • Vitória – Benfica (0-4), vitória para Jorge Jesus em 2013
  • Benfica – Vitória (1-2), vitória para Rui Vitória em 2013
  • Vitória – Benfica (0-1), vitória para Jorge Jesus em 2013
  • Benfica – Vitória (1-0), vitória para Jorge Jesus em 2014
  • Benfica – Vitória (3-0), vitória para Jorge Jesus em 2014
  • Vitória – Benfica (0-0), primeiro empate em 2015
  • Benfica – Sporting (0-1), vitória para Jorge Jesus em 2015
  • Benfica – Sporting (0-3), vitória para Jorge Jesus em 2015
  • Sporting – Benfica (2-1 ap.), vitória para Jorge Jesus em 2015
  • Sporting – Benfica (0-1), vitória para Rui Vitória em 2016
  • Benfica – Sporting (2-1), vitória para Rui Vitória em 2016
  • Sporting-Benfica (1-1), segundo empate em 2017
  • Benfica – Sporting (1-1), terceiro empate em 2018
  • Sporting – Benfica (0-0), quarto empate em 2018