O International Board (IFAB) divulgou algumas mudanças às regras no futebol já para a próxima época.

Nós aqui na bet.pt analisamos e algumas parecem-nos saídas de um discurso do Trump e vocês que estão a ler vão perceber porquê.

Estas regras entram em vigor a partir do dia 1 de julho deste ano. Porém segundo o IFAB “as competições suspensas pela situação que se vive neste momento no mundo têm duas opções.

Termina a disputa das competições com as regras da época passada ou adotar as regras de 2020/21″.

O Muller ficou maluco com tudo isto

Eis as regras

– Mão na bola, agora o toque na parte superior do braço, junto à axila, até à manga da camisa, passa a não ser considerado como infração.

A finalidade de determinar de forma clara uma falta com a mão, estabelece-se “o limite do braço no ponto inferior da axila”, diz o comunicado do IFAB.

– Já o toque com a mão na bola numa jogada atacante, se for de forma involuntária, só deve ser assinalado caso dê diretamente um golo. Ou ocasião clara de golo.

Isto muda porque na última recomendação, os árbitros tinham de marcar falta em qualquer toque da bola na mão na fase ofensiva das jogadas.

Sempre que o incidente em revisão pelo VAR for suscetível a considerações subjetivas, o árbitro deve rever o lance no monitor de campo. Ou seja, o “pode” passa a “deve”.

– Nos penáltis, o passo em frente dos guarda-redes só deve ser punido caso essa ação influencie diretamente o resultado final do penálti.

Por exemplo: caso o guarda-redes se adiante, mas o marcador chutar à barra ou para fora, não há repetição.

Caso o guarda-redes seja punido por sair da linha e a cobrança repetida, o cartão amarelo só deve ser mostrado caso o guarda-redes repita a infração.

– Cartões amarelos. Se um atleta for punido durante os 90 minutos e, depois, novamente no desempate por penáltis, deverá ser colocado no relatório do jogo que viu 2 amarelos.

Desta forma, o segundo amarelo não conta como expulsão. Também se o marcador do penálti e o guarda-redes cometerem infrações em simultâneo, a indicação é que seja o marcador o punido.

– O toque com a mão voluntário por parte de um defesa será considerado no momento de determinar um lance de fora de jogo;

– Se o árbitro permitir a cobrança de uma falta rapidamente ou der lei da vantagem após uma falta que interfira numa jogada clara de ataque, não deve ser mostrado o cartão amarelo;

– Os jogadores que não respeitarem os quatro metros de distância obrigatória num lance de bola parada devem ser punidos com cartão amarelo;

– Se o guarda-redes marcar um pontapé de baliza ou falta para um companheiro e este devolver com o peito ou a cabeça, o lance será repetido.

Qual é a vossa opinião?

Partilha connosco, nós na bet.pt adoramos receber feedback.

Bussaco – o especialista

Betaites dedicado às regras do futebol