Os treinadores portugueses estão na moda, disso já ninguém dúvida.

Principalmente em terras de Vera Cruz. Muito por causa do bom tralhado feito, em 2019, por Jorge Jesus no Flamengo, mas também pelo que o Abel Ferreira tem vindo a fazer com o Palmeiras.

Aqui na bet.pt reunimos alguns nomes de treinadores portugueses que estão sem clube e que seriam boas apostas para qualquer clube no Brasil.

Podem achar que algumas opções apresentadas são piadas, mas nada disso. Tratam, isso sim, de escolhas bem justificadas. Como vão ver.

As nossas apostas para treinadores no Brasil

Rui Vitória

Fala-se que pode ir treinar o Flamengo e substituir Rogério Ceni

Natural de Alverca do Ribatejo, este treinador tem subido a pulso na sua carreira.

Vilafranquse, júniores do Benfica, Fátima, Paços de Ferreira e Vitória (de Guimarães), onde venceu uma Taça de Portugal diante do próximo clube que havia de treinar – o Benfica, fazem parte da sua história.

Pelos encarnados, foi campeão por três vezes conquistando Supertaças e uma Taça da Liga.

Pelo Al Nassr foi campeão e ganhou uma Supertaça.

Lito Vidigal

Já treinou na Líbia, no Chipre, em Israel até foi selecionador de Angola

Treinador luso-angolano já conquistou uma Taça de Portugal. Não te lembras? Nós ajudamos.

Época 2017/18, então no comando do Desportivo das Aves, embora não tenha chegado ao fim dessa mesma temporada. José Mota assumiu o cargo e levou de vencida, por 2-1, o Sporting.

Tem ainda passagens por clubes como o Elvas, Estrela da Amadora, União de Leiria, Belenenses, Arouca com participação na Liga Europa.

Sem esquecer o Vitória (de Setúbal), Boavista, Limassol (Chipre), Maccabi Tel Aviv (Israel), entre outros.

Carlos Queiroz

Depois da seleção colombiana, um clube no Brasil?

É dos treinadores mais experientes desta lista. Desde a seleção nacional, passando pelo Sporting, adjunto de Sir Alex Ferguson, a treinador do Real Madrid, Irão, entre outros.

José Morais

Bicampeão no Jeonbuk Motors da Coreia do Sul

Em Portugal passou por clubes como o Académico de Viseu ou o Santa Clara. Mas também já treinou na Suécia, Arábia Saudita, Turquia, Inglaterra e até na Grécia.

Trabalhou com José Mourinho, na qualidade de observador no Inter de Milão e no Real Madrid. Experiência e troféus não lhe faltam

Vítor Pereira

Um treinador que fala a verdade!

No FC Porto, e numa altura em que o campeonato tinha 16 equipas, jogou duas épocas conseguindo em 60 jogos, apenas uma derrota. Conquistou 2 campeonatos.

Já treinou na Arabia Saudita, Turquia, Alemanha, Grécia e mais recentemente, na China, onde amealhou mais troféus.

Leonardo Jardim

Teve 6 épocas no Mónaco

Subiu a pulso na carreira. Está sem treinar desde 2020, quando saiu do Mónaco, onde passou 6 épocas, e ganhou um campeonato.

Já foi campeão na Grécia com o Olympiakos e da 2ª liga portuguesa com o Beira-Mar.

Marco Silva

Depois de Inglaterra, o que se segue?

Começou no Estoril, ainda como diretor desportivo, mas como as coisas não estavam a correr, passou a treinador. Logo na estreia, foi campeão da 2ª Liga Portugal e participou na Liga Europa duas épocas depois.

Foi campeão na Grécia, e mostrou qualidade de trabalho em terras de Sua Majestade.

Pedro Caixinha

Porque não?

Começou em Leiria, no ano de 2010, e nunca mais parou. Teve duas passagens, prolongadas, pelo México – Santos Laguna e Cruz Azul, onde foi campeão.

Soma ainda uma experiência no Al-Gharafa, do Catar, Rangers, da Escócia, e ainda no Al-Shabab, da Arábia Saudita.

Abel Xavier

“Treina a dor”

Depois de uma boa carreira de jogador, a de treinador tem sido relativamente interessante.

Conta com passagens por Olhanense, Farense e Aves. Foi ainda selecionador de Moçambique entre 2016 e 2019.

Ivo Vieira

Possuí mentalidade de futebol ataque e de espetáculo

Já treinou os grandes da ilha da Madeira. Aves, Académica, Estoril, Moreirense e o Vitória (de Guimarães) em Portugal também fazem parte do seu CV.

Já nesta época, treinou o Al-Wehda, da Arábia Saudita, onde não foi feliz.

Bruno Lage

Saudades destas metáforas

Foi campeão no Benfica. Mas já antes havia sido adjunto de Carlos Carvalhal no Sheffield Wednesday e no Swansea.

Domingos Paciência

Levou o Braga a uma final europeia

Depois da brilhante carreira como jogador, Domingos decidiu ser treinador.

Já soma experiência internacional depois de ter treinado do Deportivo, em Espanha, o Kayserispor, na Turquia, e o APOEL do Chipre.

Em Portugal passou pela equipa B portista, seguindo-se Leiria, Académica, Braga, Sporting, Vitória (de Setúbal) e o último clube que treinou foi o Belenenses.

André Villas-Boas

Ganhou tudo no FC Porto

Depois da Académica e da época épica ao serviço do clube do seu coração, seguiu-se aventuras em Inglaterra, na Rússia, China e França.

Nos troféus para além da Liga Europa, campeonato e Supertaça em Portugal, soma uma Liga dos Campeões, uma FA Cup e ainda um campeonato, Taça e Supertaça russa.

João Pedro Sousa

Depois de Famalicão, o que se seguirá?

Bom futebol, evolução e valorização de jogadores,são alguns dos predicados que saltam à vista quando lembramos o trabalho deste treinador no “Fama”.

Tiago Mendes

Merece uma oportunidade a sério

Saiu ao fim de 3 jornadas do Vitória e está disponível para novos desafios.

Carlos Azenha

Saudades?

A última equipa que treinou foi o Portimonense na época 2014/15. Depois de vários anos como adjunto.

Na temporada 2008/09, assumiu o papel principal em clubes como o Vitória FC e o Al Sharjah dos Emirados Árabes Unidos.

Leonel Pontes

Tem bons discursos

Neste momento procura novo desafio profissional. Mas antes, entre 1999 e 2014, foi djunto no Sporting e na Seleção de Portugal, sendo então chefiado, na maior parte do tempo, pelo Paulo Bento que hoje é selecionador da Coreia do Sul.

Começou a carreira de treinador principal, tendo chefiado projetos em clubes como o Marítimo, Panetoikos (Grécia), Ittihad Alexandria (Egito), Debreceni (Hungria) e Jumilla (Espanha).

Nos últimos anos, regressou ao Sporting para comandar a equipa de Sub-23.

Se achas que falta algum nome nesta lista, partilha nas redes sociais da bet.pt a tua opiniões e respetivas escolhas.